Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

riscos_e_rabiscos

.

.

Hoje tou assim...

Estou completamente k-O.! Ontem fui atraiçoada pela minha alergia já à noite. Tomei logo a medicação toda e enfiei-me na cama para tentar minimizar a coisa.
Já todos sabem que eu sou tipo flor de estufa, qualquer coisinha é o suficiente para eu ficar em "estado de espirro contínuo" e ontem a temperatura baixou e eu apanhei algum frio. Estava-se mesmo a ver que hoje iria ficar meio adoentada; espirros, dor de cabeça, incapaz de pegar num gato pelo rabo e prostrada.
Esta maldita alergia acaba comigo!
Argh!
{#emotions_dlg.angry}

Façam uma pausa e sirvam-se :)

Ouvi dizer que andava por aí uma preguicite aguda contagiosa.

Pois aqui a Pepper, como mulher precavida que é, foi ao sinhor doutore para descobrir qual o antídoto.

O sinhore doutore disse:

 

- Quando tiveres uma crise aguda, toma um destes... 

y
... e para reforçar o efeito, acompanhas com um destes...
p
E eu, menina bem mandada que sou, segui à risca aquilo que o sinhor doutore disse.
Ainda que virtualmente... 
{#emotions_dlg.drool}
Alguém me acompanha?

Enfim, a normalidade.

O meu lindo e amado computador (olha a graxa...!), resolve sempre avariar-se quando eu mais preciso dele. Mas é uma coisa à qual já me vou habituando, no entanto, não sou capaz de deixar de ficar danada!

 

Realmente, a semana passada só me aconteceram coisas para me porem à prova. E eu resisti e ultrapassei-as sem me enervar. Claro que fiquei meio abananada mas passou.

 

Começando pelo meu querido e amado PC com aqueles "achaques" que lhe deram mas que o meu ácaro alentejano lhe tratou da saúde. Estive vários dias a trabalhar com o meu mini PC que é girinho, branquinho e lindinho mas que tem um micro ecrã e eu sou mais cegueta que um morcego. Tenho a dizer que gosto muito de ti, brancolinhas, mas só para pesquisar, escrever... não!

Depois foi a odisseia do passe social, do título de transporte. Eu, Miss Pepper, mais tesa que um carapau, a ter que gastar os seus últimos trocos em fotografias para o desgraçado do passe. Tinha que ser e lá fui eu até ao fotógrafo para depois ir, finalmente, pedir a renovação do dito cujo.
r
Chego ao fotógrafo, digo o que quero, manda-me sentar no banquinho e virar para aqui e para ali. Pede-me para aguardar um bocadinho para eu depois ir escolher a foto que quero para ele imprimir. Escolha feita e uma eternidade para imprimir... Surge a cabecinha do fotógrafo por detrás da parede que me diz "ó menina tem muita pressa? É que tenho um problemazinho na impressora, ela não quer imprimir... Dá-me meia horazinha?" Com o pensamento de que "devia ser tão feia, mas tão feia que até encravava impressoras", lá dei meia horazinha ao homem.
r
Fui beber café, espreitar uma nova loja do chinoca que aqui abriu com coisas giríssimas e cujo fabrico é europeu (menos mal), e mais umas voltinhas para me entreter. Já com as fotos na mão, vou à casinha dos passes para, finalmente, pedir a renovação. E não é que a trombuda que lá está me diz que leva DOZE dias para me fazerem o passe?!?!? Tive três chiliques logo ali. Barafustei, e de seguida vim-me embora. Decidi que iria segunda-feira à estação do Metro fazer o passe que é de um dia para o outro.
r
Depois fui à procura de um tecido que precisava. Corri a minha cidade toda e não encontrei. E não encontrei porque as retrosarias estão em vias de extinção. Epá, que desgosto! Mas também já consegui resolver este problema.
r
No fim das contas, tudo está bem quando acaba bem. :)

 

Pág. 4/4